Rituais Religiosos

O uso de animais para sacrifícios em rituais religiosos é amplamente praticada no Brasil. O sangue de animais vivos é a força vital que é ofertada aos deuses, por isso, especialistas das religiões de origem africanas defendem a continuidade deste ritual. Cabritos, ovelhas e galinhas ficam horas a espera da morte, que vem lenta através do total sangramento de seus fluídos como forma de presente aos orixás. Grupos defendem esta prática como liberdade de expressão religiosa. No passado tribos indígenas ofertavam o sacrifício de crianças e virgens em rituais mortais como forma de expressar seus credos e seu agradecimento aos deuses. Imaginem, se continuássemos com esta prática?

O desenvolvimento da sociedade faz com que evolução da nossa consciência se reflita em nossas atitudes. Matar animais indefesos somente para apaziguar a ânsia de deuses pela força do sangue vital destes animais, é uma mera explicação sem embasamento teológico sobre a tradição e herança cultural de tribos que habitavam a África há 3000. Se mantivéssemos antigas tradições, hoje poderíamos jogar homens aos leões, simplesmente porque os romanos os faziam, ou queimar vivo, em praça pública, indivíduos que não se enquadrassem nas leis éticas da conduta católica.

A imoralidade da crueldade não pode ser explicada pelo credo. A responsabilidade da nossa sociedade com estes animais deve lhes garantir o direito a vida, e ao não sofrimento, por coisas tão irracionais. A Constituição Brasileira proíbe o sacrifício de animais. Porque continuamos com essas práticas cruéis?

 

GATOS PRETOS


Os gatos pretos, assim como os cães pretos sofrem uma grande discriminação na nossa sociedade, mas no começo da história não era assim. Na Pérsia Antiga, em torno de 600 a.C , quando se avistava um gato preto, era sinal de boa sorte, pois se acreditava que este animal era a visita de um espírito amigo na terra. No século X, as coisas mudaram e o gato preto tornou-se um sinal de bruxaria, pois diversos indivíduos relataram aparições deste animal em locais dominados por bruxas malignas. Pela sua cor e por seus hábitos noturnos os gatos pretos foram considerados diabólicos e associados a magia negra das bruxas. No século XV foram colocados na lista de hereges perseguidos pela Inquisição. Injustamente acusados de estarem associados a maus espíritos foram queimados vivos em fogueiras, juntamente com milhares de pessoas acusadas de bruxaria.

Atualmente, ainda algumas pessoas procuram gatos pretos para sacrifícios que envolvem bruxaria. No mês de agosto a procura por cães e gatos pretos em abrigos de animais abandonados aumenta. E os critérios de adoção, por estas entidades se tornam mais seletivos.